Topo
Blog Direção Legal

Blog Direção Legal

Veja como evitar os perigos dos caminhões nas estradas

Denis Freire de Almeida

05/04/2018 14h45

Acidentes com cargas mal presas nas caçambas de caminhões são comuns. Muitas vezes, elas acabam tombando em cima dos carros. Saiba como evitar os perigos desses brutamontes das estradas.

Evite dividir curvas com caminhões. Eles pesam cerca de 45 toneladas carregados, ou seja, são 30 vezes mais pesados que um automóvel!

O sono

Outra questão, que aumenta o risco de se andar perto das carretas, é a grande quantidade de horas que os caminhoneiros trabalham seguidamente. O perigo do sono é real…

Além disso, o ponto cego dos caminhões é maior que o dos carros e muitas vezes impossibilita a percepção de veículos pequenos na hora de uma mudança de faixa.

Caminhões tombados são comuns nas estradas brasileiras

Sempre monitore os caminhões e procure fazer as ultrapassagens preferencialmente nas retas, pois o risco de tombamento da carga é quase nulo.

Outra dica legal é aproveitar os trechos de subidas para deixá-los para trás, uma vez que eles perdem embalo por causa da força da gravidade.

Caminhões e ônibus representam grandes riscos para automóveis e motocicletas. Procure ficar o mais longe deles, seja qual for a situação.

Veja mais dicas no nosso canal no YouTube

Sobre o Autor

Denis Freire de Almeida é jornalista formado pela PUC-SP, com 25 anos de experiência na área de automotiva. É idealizador do “Direção Legal” e já trabalhou em veículos como Rede Globo, Quatro Rodas, O Estado de S. Paulo, Record TV e Webmotors. É piloto de testes certificado pela Federação Paulista de Automobilismo desde 1999, além de instrutor de Direção Preventiva e Defensiva.

Sobre o Blog

A ideia do “Direção Legal” é salvar vidas. Você sabia que “cai um Boeing por dia” nas ruas e estradas brasileiras? Isso mesmo, são 104 vítimas fatais todos os dias -- uma a cada 13 minutos. A melhor forma de evitar a ampliação desse número alarmante é informar sobre os riscos ao volante e dar dicas práticas de como minimizá-los. O que nos motiva é que 94% dos acidentes poderiam e podem ser evitados, já que são causados por falha humana. Embarque com a gente nessa viagem.